domingo, 21 de julho de 2013

Entrevista ... "Na cadeira da Papa com B. e B."

Cá estamos nós com a primeira entrevista do "Passatempo na cadeira da papa com..." E se quiserem em agosto há mais! ;)
 
Querem saber a melhor?? …se acham que um little é um desafio…imaginem estar na cadeira da papa com duas Littles ao mesmo tempo!?!?!

Pois é, a Lívia é a orgulhosa mãe de duas queridas gémeas de 4 anos a B. e a B. E que cozinheiras TOP..já viram estes pintainhos giros,giros...



 
A Mom  é a uma simpatia e super despachada...fizemos a entrevista num tempo record, como diz a Lívia  "mãe de gémeas não tem tempo a perder!". concordam?


Vamos descobrir o que se passa nesta mesa…

Receita:
Mom: Lívia Margarida
Littles: 2 Gémeas a B. e a B.
Idades: 4 anos


Lívia …numa só palavra…como é ser mãe de gémeas?
 
Um orgulho!
 
Ser mãe de gémeas é um desafio a dobrar…como foram as primeiras refeições?

As primeiras refeições foram um misto de curiosidade, receio e felicidade. Por ser mãe de gémeas, estava curiosa por saber como iria cada uma reagir à amamentação e se eu própria o saberia proporcionar da melhor maneira. Logo nesta fase, as minhas meninas revelaram-se bem diferentes; enquanto uma mamou (pouco tempo, apenas até aos 2-3 meses, e sempre suplementado), a outra nem queria pegar na mama. Tive a sorte de ser muito bem acompanhada pelas enfermeiras da Maternidade Alfredo da Costa, que com extraordinária paciência me orientaram para lidar com esta diferença.

Quando as duas Littles queriam comer ao mesmo tempo como fazia?

Essa era uma questão que me faziam com alguma frequência. E a minha resposta era invariavelmente a mesma: “preparo dois biberões, um em cada mão e vamos a isto!” Há que ser prática! ...(risos)

 
E a aventura da primeira papa…como correu? A B. e a B. reagiram da mesma forma?

Não correu muito bem com ambas e mais tarde percebi porquê. Comecei por lhes dar uma das variedades recomendadas para as primeiras refeições, aos 3 meses, e a verdade é que aquilo não tem grande sabor… Mas no que toca à adaptação a serem alimentadas com colher, foi uma transição muito pacífica para ambas.

 
Ainda se lembra das primeiras sopas?

Ahhh, as primeiras sopas… comecei com uma base muito simples (batata, courgette, cenoura ou abóbora e um pouquinho de cebola) e foi como se sempre tivessem comido aquele tipo de comida. Acho que fiquei eu mais surpreendida do que elas, já que a aceitação foi muito boa. Não tive mais problemas do que qualquer outra mãe, a não ser que queriam mais do que a quantidade recomendada pela pediatra que as acompanha. Na fase inicial, fui-lhes dando a refeição de sopa complementada com o leite. A seu tempo, e sempre atenta à reacção de cada uma, substituí o leite do almoço e do jantar apenas pela sopa.

 
Com que idade introduziu os sólidos na alimentação das suas filhas? Como foi a experiência para as Littles B.?

Tenho que ir ao baú das recordações. Terá sido pelos 8-9 meses e recordo a estranheza na cara delas, ao sentirem os pedacinhos dos alimentos, muito diferentes dos purés. Os sólidos que elas aceitaram mais rapidamente recordo-me de que foram o arroz, o miolo de pão e algumas frutas.

 
Quais as comidas preferidas das filhotas?
 
Adoram legumes (brócolos, feijão verde, cenouras, batatas, ervilhas,…)! Se puderem ser acompanhados por salsichas de lata, tanto melhor. Quando lhes apresento um prato de salada, adoram ser elas mesmas a servir-se. E não falo apenas da vulgar salada de alface, mas também das saladas de vegetais com carne ou peixe. Se, por exemplo, sobrou frango assado da refeição anterior, na seguinte desfio essas sobras e misturo com macedónia de legumes e ovo cozido picado.

A fruta e a sopa estão In ou Out lá por casa?

Completamente In. O almoço da escola é uma óptima ajuda nesse sentido e em casa, ao jantar, também estão habituadas a comer sopa e fruta.

Tem dois anjinhos ou duas pestinhas à mesa?
Há dias e dias, tudo depende da fome com que chegam à mesa, do cansaço próprio do dia,… Tanto eu como o pai fazemos por tomar 2 refeições em família (pequeno-almoço e jantar), pelo que a tendência é mais para o lado dos anjinhos. Vamos incutindo algumas regras à mesa, mas gosto de vê-las bem dispostas na hora da refeição, acho que tudo corre melhor. Diversão não é necessariamente sinónimo de serem pestinhas.
Quando as filhotas não querem comer que desculpas arranjam?

“Não quero, a comida está fria, estou cheia,…” varia conforme a ocasião.

 
Conte-nos um segredo…que truques, por vezes, utiliza para distrair as Littles B. à mesa?
Quando eram bebés, afastava a colher e simulava um comboio ou um avião às voltas. Era a brincadeira preferida.
Hoje, o que funciona melhor nos (raros) dias em que não querem comer, é preparar uma garfada, fingir que não estou a ver, deixá-las “roubar” a garfada e fingir-me zangada por me a terem tirado.
Há pouco tempo, descobri que resulta muito bem acompanhar a refeição com… música! A selecção delas é bastante variada.
 
O que diria às mamãs sobre a hora de comer?
Aprendi que precisamos de pouco para tornar a hora de comer num prazer em vez de uma tortura. Paciência (tentem não olhar para o relógio) e alguma criatividade (para apresentar o prato e para as distrair). É lógico que nem todos os dias o conseguimos, mas as recompensas pelo nosso esforço valem bem a pena. Quando se ouve no fim da refeição “mamã, a comida estava muito saborosa” tudo o resto assume uma importância bem menor.


Obrigada!

Bom apetite e uma excelente semana!

P.S. amanhã faço o menu para me redimir de hoje...prometo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

O que dizem outras Moms...