quinta-feira, 7 de julho de 2016

O meu bolo delicioso!!!

A minha sobremesa preferida é cheesecake, já a reinventei várias vezes como já viram por aqui. Este ano para fugir ao bolo de chocolate das festas, achei que um bolo gelado seria a melhor escolha. O little não gosta de morangos, mas eu adoro, desta vez dei prioridade à mãe! Com um sabor especial a Matilde e Manel este aniversário foi passado com alegria e ao mesmo tempo com o sentimento... ui que já estou a ficar velhota!! 

O bolo é super fácil de fazer e mais ainda de se comer!!!! 


Cheeesecake com Morangos e Chocolate

Receita:
Base:
1 pacote de bolacha maria
100gr de manteiga
10 morangos grandes
Framboesas a gosto

Cheesecake:
2 pacotes de natas Longa Vida
1 embalagem de queijo Philadefia Light
1 iogurte grego natural 
6 colheres de sopa de açúcar 
5 folhas de gelatina

Cobertura:
1/2 tabelete chocolate culinária Nestlé  
1/2 pacote de Natas (mimosa light)

1. Moer as bolachas com a manteiga e cobrir uma base movivel. Cortar os morangos às rodelas e colocar em cima da base de bolacha. Juntar as framboesas. 

2. Bater as natas com o açúcar. Reservar. 

3. Bater o queijo com o iogurte. Reservar. 

4. Derreter as folhas de gelatina e misturar com o queijo e iogurte. Mexer bem.  Juntar às natas e envolver bem com colher ou salazar. 

5. Deitar na forma em cima do preparado da base. Tapar e levar ao frigorífico até ficar sólido. 

6. Quando o cheeseckae já estiver sólido. Derreter 2m no micro-ondas o chocolate com as natas  e mexer bem para ficar uniforme e arrefecer um pouco. 

7. Colocar o chocolate por cima. Tapar bem e levar ao congelador. 

8. Tirar do congelador para o frigorífico  1 hora antes de servir. 

Bom apetite!


terça-feira, 28 de junho de 2016

Moms: De Cozinheira a Fotografa!

Esta sessão fotográfica foi caseira, como todas as outra.A mãe foi a fotografa de serviço. Trajou a pequena e "cá vai disto"! 

Deu origem a alguns ciúmes do Mano (também tem direito a ter ciúmes)...mas fiquei completamente rendida ao resultado. Eu sou suspeita, mas não me canso de ver estas fotos!!!



❤❤❤

quinta-feira, 23 de junho de 2016

O colo, esse bandido!

A Matilde adora dormir ao colo... da mãe, do pai, do avô, das avós... qualquer colo quentinho e aconchegante serve... qualquer posição é indutora do sono tranquilo... Por aqui chamamos-lhe de "o gatinho"

Se habituamos mal "o gatinho"? ... claro que sim! Se a cama já tem picos...uiii...se tem... mas é tão pequenina e fofinha que quem a tem nos braços não resiste... são só mais 5m...que podem virar horas...

Com o Mano foi igual, via filmes inteiros com ele a dormir ao meu colo...sabem qual foi a última vez que ele dormiu ao meu colo? ... não me lembro... porque já foi há tempo demais... eles crescem e vamos adaptando devagarinho novos hábitos, novas rotinas e tudo se vai compondo...sem pressas!

É tão bom um colinho ❤❤❤

terça-feira, 7 de junho de 2016

6 semanas... O tempo voa!!

Já passaram 6 semanas... a Matilde está, aos meus olhos cada vez maior, mais fofa e mais querida! O Xoné continua a adorar ser o mano mais velho e a onda de beijinhos e abraços ainda não passou.

                 
                      
                             ❤️❤️❤️

A alimentação da pequena tem sido leite materno em exclusivo...se tem corrido bem? Agora estamos a encontrar o equilíbrio... mas demorámos 5 semanas, entre mamilos gretados, peito empedrado e uma mastite...

Estabelecer a amamentação pacífica e sem dor... é para mim a fase mais dificil, nada do que vem nos livros explica abertamente que será uma fase (para muitas mulheres) muito dura e dolorosa, em que muitas vezes pensamos em desistir, em que imaginamos que com um biberão tudo seria um sonho, em que quando chega a hora de dar de mamar queremos que durmam só mais um bocadinho porque vai doer, em que gastamos uma pequena fortuna em bombas, cremes, discos de hidrogel e almofadinhas à espera de um milagre, em que passamos horas no duche quente a massajar o peito, em que andamos de mamas de fora porque qualquer coisa que toque parece uma tortura...em que pingamos leite por tudo e por nada, em que temos mamas até ao pescoço... E que lemos vezes sem fim, "amamentar não dói" e temos a certeza que estamos a fazer alguma coisa mal... 

Como mãe de segunda viagem tudo foi mais fácil (mais fácil passar por tudo quero eu dizer) a mastite foi diagnósticada ao primeiro calafrio, a pega foi corrigida sem medos e com mais calma, se imaginei o biberão, claro que sim, se me passou pela cabeça desistir? Também ...mas tudo é uma aprendizagem entre a mãe e o bebé e se vale a pena passar por esta fase? Vale pois... Basta olhar para o ar feliz e aconchegado da baby quando mama e as sua pernocas gordas. 
Hoje há imensa ajuda, as CAM Conselheiras de Aleitamento Materno, o SOS amamentação, as enfermeiras e servem exatamente para ajudar na técnica da pega em dar apoio moral, porque o amor já está lá entre a mãe e o bebé, mas só com amor não vamos ter sucesso porque a dor se continuar transforma o momento numa tortura... Passei por isso na primeira vez e confesso que foi tão mau que desta vez cheguei a por em causa nem sequer tentar...mas tentei e ainda bem! 


quarta-feira, 4 de maio de 2016

Como param as modas?

Eu sei que querem um post com receitas, eu sei que este não é um blog de moda... Mas há coisas tão fofinhas para meninas que não resisto em partilhar algumas peças amorosas do nosso enxoval.

Habituada a comprar para rapaz, a primeira compra não foi fácil, os olhos fugiam sempre para o azul, achava tudo o que era rosa piroso e os tons de rosa não me enchiam as medidas...até que encontrei o meu lugar no mundo das meninas, abracei o amoroso e fofinho como se não houvesse amanhã, preparei não sei quantos conjuntos para os primeiros dias e deu-se uma tragédia na conta bancária... Ahahahah!!! Lembram-se da mala preta na mala? Era este o recheio as roupas escolhidas a dedo para os primeiros dias da primeira menina na família! 

Para a maternidade optei por peças únicas, fáceis de vestir e despir mas (a meu ver claro!) muito bonitas e simples aos mesmo tempo. Sim, ela anda quase sempre de cor de rosa... ❤️❤️❤️



        

      

Bom apetite! 


quarta-feira, 27 de abril de 2016

Matilde: A nossa história!

Durante 9 meses, pouco partilhei esta gravidez, mesmo entre amigos e família foi vivida de forma discreta, apesar do enorme desejo, a preocupação foi sempre maior. A gravidez foi de risco? Não, nada... nem por um segundo... se a do Manel foi santa, esta não tem explicação, mas na minha cabeça foi de risco durante os 9 meses! 

Gostava muito de ter partilhado também com vocês que me lêm e me seguem esta novidade, preparei alguns post com roupinhas, outros com desenhos do Manel com a mãe com a mana na barriga, as conversas deliciosas que tivemos os dois à conta da Matilde, podem imaginar os comentários do Manel! Mas nunca saíram da caixa.

A nossa história nos últimos  2 anos, foi dura, perdemos 2 bebés, abortos retidos, perdidos de forma silenciosa, sem qualquer suspeita, nem motivo ... foi difícil, foi doloroso, houve momentos em que perdemos a esperança, outros em que acreditávamos que havíamos de conseguir. Quando olhámos para mais um teste positivo o sentimento foi... e agora? O medo foi sem dúvida o sentimento predominante com uma mistura de "não sejas parva, vai correr tudo bem"...

A primeiro eco só ajudou a reforçar os sentimentos, nada de embrião, possibilidade de SAF, prognóstico reservado com nova avaliação em 7 dias! Na minha cabeça já não havia esperança, nada, nem uma restia, havia quase que como uma confirmação que o Mané seria filho único e que no meu coração ia ficar um vazio ocupado por 3 corações para sempre...

Passados 7 dias... a angústia que sentia no peito era do tamanho do mundo... Não, era muito maior que o mundo...mas em breves segundos consegui vê-la, ouvi-la e saber que estava lá! Daí para a frente, e por mais que tentasse, a gravidez não foi igual á do Manel, não foi vivida em pleno, foi vivida em estado de alerta... estava descansada quando ia fazer as ecos, era a semana que comprava roupas e coisinhas para ela. Até nova eco o aperto crescia... raios...parecia uma montanha russa.

Só nas últimas semanas é que o meu coração começou a descansar, sentia-a a mexer-se todos os dias, as consultas regulares para ouvir o coração deixaram-me gozar quase em pleno este final. Quase... porque parei de tomar aspirina ás 35 semanas e achava que podia acontecer alguma coisa agora no fim!!

God... só queria que ela nascesse, havia momentos em que sentia que o meu corpo podia ser perigoso para ela... vejam só as parvoíces que nos passam pela cabeça!!!

No dia em que ela nasceu, a caminho da sala de partos, revivi a última vez que, por motivos menos felizes tinha passado ali e chorei, chorei tanto que a médica pensava que era de dor (por acaso também, a epidural fez janela, e sentia tudo do lado direito)... mas a emoção foi tão grande e a vontade de vê-la também que em literalmente 8 minutos estava nos meus braços, finalmente o pedacinho que nos faltava para estarmos verdadeiramente felizes!!!

Ser mãe é sem dúvida a maior benção que uma mulher pode ter, é um amor que não tem explicação é a dobrar então, é bom demais! 

P.s. É possível que, por causa das hormonas pós parto os post estejam a cair para o lamechas! 

                       
                                ❤❤❤
❤❤❤
❤❤❤

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Mousse de Framboesas e Banana!

Um lanche saudável.  Dependendo da quantidade de leite que coloquem, pode ser uma mousse ou um batido. Rápido, fácil e para Littles (ou mães) é uma boa solução para o lanche. Cá em casa foi insucesso...


Mousse de Framboesas e Banana

Receita:
1 Chávena de Framboesas Congeladas
1 Banana 
Leite (até metade do copo)

1. Colocar as framboesas e a banana partida aos pedaços para um copo/misturadora. Deitar o leite fresco até metade da mistura (se quiserem batido é encher com mais leite) ... vrummm, vrummm e já está. 

Bom apetite!